sábado, 20 de julho de 2019

Solstício, de Erick Monteiro Moraes - Terceiro Lugar de Poesia do X PPBPP


Do ápice do dia
a noite súbita:
o eclipse
da narcolepsia

Do ápice do dia
a guilhotina
da noite
sua lâmina exata

(a noite se dilata
nas pupilas
sob as pétalas
das pálpebras
vermelhas
das papoulas)

Do ápice do dia
a noite súbita:
íngua de luz
sob a língua

*

Na ânsia do açúcar
o olhar
caleidoscópico
das moscas
os músculos acesos
a explosão
telegráfica das asas

Sem jamais repousar
elas pousam
      nosso olhar
ora ali
ora aqui

Que tramam as moscas
no esfregar de mãos?
O fogo primitivo
dos gravetos?

Que secretam do sol
Dissoluto do açúcar?

O sonho insone
o relâmpago
dos gestos:

obsessivos
os calidoscópios
copiosamente observam

Erick Monteiro Moraes


Nenhum comentário: