segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Azia


Hoje eu acordei com uma azia me rasgando o estômago, na realidade eu não dormi bem, não durmo bem faz uns dois dias, acho que é desespero, fome, ou peso na consciência.

Tá tocando Zuza Zapata aqui na minha Playlist acho que deve ser isso, uma sensação cálida de urgência percorrendo meu corpo. Uma urgência de saber até quando, porque por algum motivo o meu coração tá dizendo que você tá indo embora e Deus queira que eu esteja errada tanto quanto a vida que eu levo.

A minha casa tá uma zona, tem um monte de louça na pia, não faço mais almoço, diminuí o açúcar no café, às dezessete horas bate falta do sal.

Do sal que eu lambo do teu corpo no dia da semana que eu sou mais feliz.

Ontem no banho eu tava imaginando um futuro pra gente, deu medo quando parei pra me olhar no espelho e me vi pensando nas coisas que eu seria capaz de fazer com você. Eu odeio espelhos.

Na realidade eu acho que ando aprendendo a gostar dos espelhos ultimamente pelo simples motivo que eles andam me dando a oportunidade de te ter mais, vez em quando eu fico te observando dentro de mim como quem faz uma prece ao universo. Eu não sinto paz, mas me sinto viva.

Semana passada eu tava relendo os meus escritos e me assustei quando me dei conta que sempre escrevi pra você, de alguma forma eu sabia que a desgraça ia chegar. Eu tropecei em umas bocas antes, mas nada que valesse realmente meu tempo, não desmerecendo ninguém, alguns eram uma gracinha, mas eu sou muito intensa e sempre assusto quem ainda tá começando. Pra ser sincera eu acho que assusto até quem já tá na estrada tem tempo, mas quem tem experiência, bota fé nas malucas.

Eu ando sentindo falta de quando tudo começou, agora vira e mexe você nem me dá mais tchau nas nossas conversas, aparece e abandona. Eu odeio isso, eu fico ali esperando o fim da conversa, eu sempre fico esperando o fim de tudo, e não sabendo o que fazer quando me dou conta que você não vai mais voltar, eu desligo o telefone.

Em todo caso deve ser válido esse movimento, deve fazer bem pra bateria descansar, coisa que meu coração deve aprender.

De toda forma eu te agradeço, quando for sair da minha vida, sai assim também, de uma vez só. Já te pedi isso, lembra?

E só te pedi isso, porque eu não vou saber me despedir de você.

Sherazade Médici



Sherazade é atriz, escritora, poeta e compositora. Autora do perfil @NemTãoSuaveAssim
https://www.instagram.com/nemtaosuaveassim/?hl=pt-br
https://www.facebook.com/NemTaoSuaveAssim/

Nenhum comentário: