terça-feira, 29 de maio de 2018

Rude destino



Por que você se cansa e se pergunta tanto
se tanto percebeu que já não vale a pena
você tentar viver, tentar achar encanto
num céu tão sem azul, em almas tão pequenas?

Por que você lamenta o fracasso de tudo
como se assim fizesse alguma diferença
e aos seus próprios problemas você fica mudo
e por não resolvê-los perde a própria crença?

Por quê? Qual a razão? Que inspiração te move?
Que lágrima sem termo tanto te comove?
Que vento há em você que nunca se aquieta?

Você não se responde, nem sequer entende
o porquê dos porquês, simplesmente se prende
a este rude destino de talvez ser poeta.
  
Kleiton Muniz

Nenhum comentário: