quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

primícias


ó mulata, chacoalhacadeira
raba bem brasileira!

- vai matando homem
com esse caldo quente
que é conto -

e nossos sexos
em perfeita simbiose
e vendo os homens
beijar essa pele saborosa
é que sinto essa
lascívia monstruosa
e percebo com quantos
panos pretos se cose
a roupa do luto
e nesse vai e vem infinito
percebo a podridão:

o homem no grito,
à beira do gozo,
trata a mulher como um
produto, mas o gozo
esplêndido e derradeiro
não está no membro
masculino, mas sim no
caldo cristalino que o
homem jamais saberá
se foi verdadeiro


Anelise Freitas é autora do livro Vaca contemplativa em terreno baldio, publicado por Aquela editora (Juiz de Fora, 2011), que tem o mesmo título de seu blog. Além disso, participa da organização do evento Eco - Performances Poéticas, desenvolve projetos na internet como o Beleza Gorda e o Xerecas no Phoder, e ainda arruma tempo para ser mãe, poeta e diva em Juiz de Fora e arredores.

2 comentários:

Marcel Fernandes disse...

isso ae...

Caipirinha da Silva disse...

sempre que posso contemplo com essa vaca. ela é phoda!