quarta-feira, 10 de abril de 2019

FIM, poema de Pedro Du Bois


Imagem em que te enxerga
enquanto o dia não chega
porque o mundo acabou
antes da alba

remoças o corpo em que te vejo
na idade vulgar: carinho
com que te entrego
o mundo antes que acabe

recomeças a imagem
em passado tempo
de reflexo malfeito
e na poça d’água pisas
o barro molhado
de que serias feita

refazes o início
em renovada imagem e reflexo

o que vês te alucina: passas
pela estrada em que não chegas
que o mundo findou teu destino.

Pedro Du Bois

Nenhum comentário: