quinta-feira, 27 de julho de 2017

Rede


Teu corpo despejado em mim,
me enrosco toda em ti...

No balanço lento das tuas curvas
e no ritmo desse vai e vem,
te aconchego que nem concha.

Eu, casulo,
te envolvo borboleta.

Dentro de mim, entregue,
não pense, descanse
e esqueça o resto

Sinta a brisa que te venta o rosto,
o toque macio que te encosta a pele,
meu embalo pendulado,
o canto gemido dos meus ganchos enferrujados.

Vem que eu te quero todo, moço...

Deite no meu colo largo de lua crescente,
que eu me rendo.

Helena Lima

Nenhum comentário: