sábado, 1 de maio de 2010

Acaso — poema de Fernando Brum

.
Antes era um livro fechado
Um telefone desligado
Agora é vento na árvore
Varrendo toda a ilusão
Dos olhos acostumados

É poema perdido,
Lançado ao mar
Como a tarrafa
Que vai sem saber
Que recolhe o ouro do mar

Preocupação não há
Os peixes hão de vir
Caminham cegos
Ao seu destino quiçá
Que não sabem

E cumprem seu papel
Como os papéis do livro fechado
Na ânsia de serem lidos e entendidos
Nem que seja por uma tarrafa
Lançada sem saber
.
Fernando Brum
.
.
.
Fernando Brum é estudante de Desenho Industrial da Puc-Rio. Já tem um livro impresso pela CBJE, Camara Brasileira de Jovens Escritores, alem de ter duas participações em antologias, uma poética e a outra de contos, numa editora de Sao Paulo. Atualmente está preparando seu segundo livros de poesias.
.