segunda-feira, 19 de abril de 2010

de quando virei desconhecida

.
vovó parece querer despir-se de
si aos poucos,
os olhos vítreos sem
dono e as mãos
desobedientes imóveis no
ar, a língua dormente de tanto
ter de engolir remédio
e minha surpresa quando
gagueja: quem é você?
.
Clara Balbi
.

3 comentários:

Beatriz disse...

belo poema. esse processo de esquecimento é mesmo muito doloroso.

Clara Balbi é ab-so-lu-ta-men-te disse...

muito obrigada. sim, é mesmo muito doloroso. às vezes infinito.

João Lima disse...

clara, gosto muito do frescor dos seus versos...
bem-vinda ao blog!