quarta-feira, 16 de junho de 2010

(de um outono chato) — de Tiago Ramos

.
Os dias passam
andam quadras
viram meses
.
anos
festas casamentos
nascimentos
gêmeos siameses
.
e num dia qualquer
(de um outono chato)
você retorna
insensato
.
sua palavra me vem novamente
Na hora no instante
insistente
.
eu bobo louco
insolente
me derrubo de novo
nos seus pés
solenemente
.
Tiago Ramos
.
.
.

Tiago Ramos é nosso leitor de Maringá, PR.
.

2 comentários:

Simplesmente Outono disse...

Sou suspeita ao falar de Outono.
Veja, se puder!

S.Ribeiro disse...

Belo poema. Parabéns.