sábado, 10 de julho de 2010

Elegia, um belo poema de Danilo Diógenes

.
.

O céu está tomado.

Não me recordo das nuvens

ou das estrelas cambiantes

sob as quais passeávamos.

.

As estrelas apontavam

o mar, o mar se dividia

e à beira da praia

as ondas degustavam

nossos pés.

.

O mar em dois se dividia.

Ficávamos a esperar os povos fugitivos,

os escravos, os ladrões…

e a nossa imaginação falhava como um rádio velho…

.

Hoje, porém,

o céu está tomado.

Não me recordo

das estrelas cambiantes

sob as quais

o mundo desfilava

enquanto

à beira da praia

as ondas degustavam

nossos pés.

.

Os olhos do céu

agora muito se ocupam

em só espiar usinas

e navios que atravessam

a noite

com ativistas e carregamentos

clandestinos.
.
Danilo Diógenes
.

Um comentário:

pedrolago disse...

Danilo Diógenes é um dos melhores poetas que conheço.