quinta-feira, 5 de março de 2009

Inocente Jaula, de Igor Pombo Menezes

.
Eu estava cansado, dissolvido, amargurado e meus sonhos a quilômetros de mim. Aquele momento foi a minha revolução. Assim que parti em direção, o maldito sorriso desaparecera e uma face de surpresa o tomara. Assim que lhe acertara a primeira vez as coisas haviam mudado de lugar, tudo que me dissolvia agora também o machucava como se estivéssemos ligados em corrente mortal: de um lado o veneno, do outro os espinhos.

Não havia jeito de ele me fazer parar, tempo demais passara e muitos sentimentos foram calados e convertidos em ácido, (para não saírem e me fazer enlouquecer). Mas agora... O que mudara? Eu me pergunto. A situação tinha apenas tomado uma nova forma, a angústia tinha se transformado num profundo, ardente e inocente ódio no qual eu me aprisionara, certo dia de minha vida, e nunca mais saíra.
.
Igor de Freitas Pombo Menezes
.
.
.

Igor de Freitas Pombo Menezes tem apenas 15 anos, mas já possui um estilo peculiar de escrita. Já vem vindo a novíssima geração....

2 comentários:

Bárbara disse...

o escritor também nos aprisiona com as palavras. fantástico! parabéns

Bárbara disse...

o escritor também nos aprisiona com as palavras. fantástico! parabéns!!!