terça-feira, 17 de março de 2009

Para ler em voz alta: De volta à vida mesma

.
De volta à vida mesma, acho-me perdida e manca, encontro-me encafifada com o fio da meada que já não tenho mais. De volta à vida mesma, mastigo montes de miséria, medíocre marcha espinhosa e fútil, martírios longos e morosos. De volta à vida, mesmo assim acho-me morta, metade de mim sem ar, metade de mim alerta. De volta, a vida me acena mesmices, misantropias e morbidez, e eu me meto a correr dela, medrosa, mendiga. De volta à vida mesma, minimamente masco o que a mim me é destinado, e o que não se torna massa ou bolo alimentar eu cuspo fora meramente. De volta à vida, mesquinharias me fazem meter os pés pelas mãos, imitando o que não posso ser e mansamente retornando ao meu lugar. E de volta, a vida? Longa, magra, megera. Maligna até! Me espera, malandra, querendo rir de mim, a vida mentecapta que a mim me restou, queimando minhas quimeras, mantendo-me maluca, amarrando-me a uma total melancolia, sem medida mas quase sempre domesticada.
.
Vivian Pizzinga
.
.
.
Vivian Pizzinga estreou na edição #24 com a coluna Para ler em voz alta, com poemas altamente sonoros. Nossa Gertrude Stein do Plástico Bolha acaba de enviar mais dois textos para a coluna e aproveitamos para divulgar um deles aqui. Em breve, também nas páginas do PB!

6 comentários:

Ana Cecília disse...

Moça de talento...

Só posso esperar por mais dessas linhas nessas publicações.

Festejo o blog!
E a ela mesma...

Anônimo disse...

adorei o texto! Parabensa escritora/poetisa !! ;)

Espero mais tb!

Clarisse Dias

Anônimo disse...

Belíssimo texto. De uma musicalidade e sensibilidade incríveis.

Parabéns à jovem escritora Vivian, parabéns ao Plástico Bolha, que já conheço há algum tempo.

Nânie

Anônimo disse...

Privilegiado sou eu que tenho a honra de conhecer a Vivian pessoalmente. Ela nunca me enganou: por trás daquele rostinho tímido havia uma tremenda energia que agora explode em textos lindos.
Beleza, Vivian.
Bjs

Luiz Antonio

johandson disse...

texto fantastico, existencialista e musical.
um grande talento

Anônimo disse...

UAU!!!! Meio que fiquei sem palavras, sem fôlego... Que texto! Incrível. Fortíssimo. Belíssimo.