terça-feira, 31 de agosto de 2010

Fábrica — um poema de Laura Liuzzi

.
.
Enquanto fabrica seu elefante
forjo a grafite uma cigarra
em momento final:
o coro e a couraça.

Componho sua aspereza
com eletricidade
das asas prismáticas
aos olhos de galáxia.

Registro nas patas
desesperada fixidez
- âncoras
para quem não quer partir.
.
Laura Liuzzi
.
.
.
Laura Liuzzi é autora do livro de poemas Calcanhar (7Letras, 2010) e acaba de estrear no Plástico Bolha com dois poemas inéditos na edição #28. Fábrica é um deles.
.

2 comentários:

Gersika Garrido disse...

Lindo poema, gosto de leituras assim, que excitam minha criatividade e que me levam através do imaginário até a realidade. Gostei. Abraço!

João Lima disse...

oi laura gostei muito! o elefante é uma referência ao drummond? bem-vinda ao bolha!!