quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Fica acordado


Desenvolvimento de ideias potencialmente doutrinadoras. Algumas comparações com animais, tal como nas fábulas, porém com um cunho de dominação. Porque animais possuem uma imagem que confere o aspecto real, a assim chamada verossimilhança, a qual parece ser nessa contemporaneidade um pré-requisito quando se fala em formação de rebanhos. Pois gênese de uma relação servos-mestre não é mais aceita fora de quatro paredes.
A liturgia. Continua crível, mesmo com a proliferação de personalidades eclesiásticas. E surpreende a capacidade das pessoas em acreditar nas múltiplas corretas interpretações de um só fato. Surpreende por não ser obra de David Lynch, quiçá se passe em Marienbad. É um tido fato. Posso gritar sobre esse fato, e assim ganho um programa vespertino na televisão ou uma igreja. Se chacoalhar muitas cabeças, quem sabe um monstruoso templo sem arquitetura?
                Falo mal, falo bem, mas passo a caixinha e jamais forço colaboração. Financeira. No céu não há árvores, no céu não há metais. Carência das matérias-primas, por isso mando dinheiro pronto direto para lá. Tão populoso o céu, uma densidade demográfica incrível. E ainda a alta concentração de ozônio. Sob essa ótica, dez reais não são, é. Pouco, quase nada. Um lado com mesquinhez, o outro não envia preciosidades para a terra: sem chuvas ácidas, raios, inversão térmica, tempestades tropicais, tornados. Fiquem fadados ao tédio.
                Fica acordado que sou um deus. Sou estéril, mas te criei. Sem ajuda de mulher alguma, afinal na minha terra o atípico é a heterossexualidade. Somos homens apenas. Cada uma de nossas costelas é uma semente sem solo para crescer. Onde há solo, as sementes germinadas são enclausuradas louvando meu nome. E sem coroinhas. O nome vem da admiração às coelhinhas, confesso. Interessa-me a ideia de morar num local repleto de criados submissos e passivos. Então a coloquei em prática.


Pedro de Carvalho

Nenhum comentário: